quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

PINHEL

Cidade portuguesa de 9.600 habitantes situada na regiom da Beira e banhada polo rio Côa. O seu nome deriva da grande quantidade de pinheiros existentes nessa zona.

Embora o foral de Pinhel de 1200 já regista a atividade comercial dos Hebreus aí residentes, a comuna judaica desta antiga cidade fronteiriça deve ter-se desenvolvido apenas no início do século XV. No final deste século, favorecida pola proximidade de Espanha, vê o número de habitantes judeus ascender a cerca de 200. 

Numha clara referência aos Judeus vindos dos reinos de Espanha, em Pinhel houve um ditado popular bem satírico: "Pires, Petras, Desterros e Galhanos, retirar deles som judeus castelhanos". De facto, as famílias mais comuns correspondiam aos Barzelai, Amiel, Abenazum, Ergas, Cid, Adida, Cohen e Castro. 


No início do século XX, o movimento iniciado polo capitám Barros Basto, conhecido como a “Obra do Resgate” motivou as famílias de origem judaica a iniciarem a construçom dumha sinagoga, e em 1931 chegaram mesmo a considerar-se publicamente judeus, celebrando o novo ano judaico.

Em 8 de maio de 1932 constitui-se a comunidade Israelita de Pinhel, cuja sinagoga ficou com o nome de “Shaaré Orah” (Portas da Luz). Os tempos conturbados da Segunda Guerra mundial voltaram a aconselhar discriçom à comunidade de Pinhel, e atualmente é difícil encontrar referências à localizaçom dessa sinagoga.

Sem comentários:

Enviar um comentário